O envio da declaração do Imposto de Renda de Pessoa Física 2019 começou no dia 7 de março e vai até o 30 de abril, às 23h59. A expectativa da Receita é receber mais de 31 milhões de declarações até o prazo final. Quem agilizou o processo pode se livrar do risco de cair na malha fina além de poder fazer a retificação.

Confira outros motivos para não deixar a para a última hora:

 

Imprevistos e esquecimentos

O risco de faltar algum documento na última hora é grande. Alguns podem demorar dias para serem emitidos, como notas fiscais de escolas e escrituras de imóveis.

 

Demora na entrega da restituição

Quem demora para fazer a declaração leva mais tempo para receber uma eventual restituição do governo. O benefício para quem agiliza é a possibilidade de usar o dinheiro em aplicações financeiras ou em quitações de dívidas.

Confira as datas de pagamento dos lotes de restituição do IR de 2019:

  • 1º lote, em 17 de junho;
  • 2º lote, em 15 de julho;
  • 3º lote, em 15 de agosto;
  • 4º lote, em 16 de setembro;
  • 5º lote, em 15 de outubro;
  • 6º lote, em 18 de novembro;
  • 7º lote, em 16 de dezembro.

 

Rede congestionada ou queda de conexão

O acesso ao sistema da Receita aumenta quando está próximo da data limite, podendo gerar alguma instabilidade ou lentidão no sistema. Também é possível que ocorra alguma falha de conexão com a internet. Isso pode se tornar uma dor de cabeça ao contribuinte.

 

Multa

Exceder o prazo implica em pagamento de multa, que pode variar entre R$ 165,74 até 20% do imposto devido. O contribuinte também corre o risco de ter problemas no seu CPF, o que lhe impede de adquirir imóveis, obter empréstimos ou retirar passaporte para viagens.

 

Atenção! Segundo a lei 4.729/1965, sonegar imposto é crime. Se você se enquadra dentro da obrigatoriedade de declaração, omitir, inserir valores falsos ou deixar de realizar o pagamento pode implicar no recebimento de multas e detenção de até 2 anos em regime fechado.

Faça o seu IR com a RECTA! Entre em contato com os nossos especialistas!