Encerramento de empresa no Brasil

//Encerramento de empresa no Brasil

Encerramento de empresa no Brasil

O sonho de muitos brasileiros é deixar de ser empregado e passar a ser patrão. Dono de seu próprio negócio, condutor de uma atividade empresarial, seja ela, no comercio, serviço, no setor industrial ou no agronegócio. Buscam no empreendedorismo uma oportunidade de mudança profissional, um novo desafio de vida que parte de uma “ideia”, onde para alcançar esse objetivo e necessário ter garra, espírito empreendedor, mas antes de tudo é preciso ter disponibilidade financeira que muitas vezes são recursos próprios, de familiares e também empréstimos bancários.

São muitos fatos que motivam um cidadão comum a ser empresa, é como apresenta as informaçoes do estudo Causa Mortis:O sucesso e o fracasso das empresas nos primeiros 5 anos de vida (2014) elaborado pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo (SEBRAE-SP), diz que a oportunidade no mercado motivou 69% dos empreendedores e 31% deles constituíram uma empresa pela necessidade, falta de alternativa satisfatória de ocupação e renda. Entre essa proporção, os números são apresentados na tabela baixo:

% – Motivo

37% – Desejavam ter o seu próprio negócio

26% – Identificaram uma oportunidade de negócios

19% – Por exigência de clientes / fornecedores

11% – Para melhorar de vida (aumentar a renda)

4% – Estavam desempregados e não arrumavam emprego

4% –  Por outros motivos

Diante de um sonho, uma oportunidade, necessidade, seja ela qual for o motivo, a empresa nasce para crescer, gerar lucros para os sócios e benefícios para a sociedade como emprego e desenvolvimento econômico para o local onde ela é inserida, mas muitas vezes o sonho pode passar a ser um pesadelo, pois o empreendedor enfrenta dificuldades que pode leva-lo ao encerramento de suas atividades. Os principais motivos que levam o jovem empreendedor a fechar as portas é a falta de capital, lentidão no retorno financeiro, impostos elevados, falta de clientes, falta de apoio, ou seja falta de credibilidade no mercado por serem novos. Segundo dados do Sebrae-SP no primeiro ano de atividades 22% das empresas sofrem com dificuldades para formar carteira de clientes e 14 % sofrem com a falta de capital/lucro.

O empreendedor que inicia suas atividades sem planejamento prévio, gestão empresarial e comportamento empreendedor tem grandes chances de encerrar seus trabalhos nos dois primeiros anos é o que apresenta o SEBRAE-SP em seu ultimo estudo Sobrevivência das empresas no Brasil, publicado em 2013 elaborado analisando o comportamento das empresas criadas em 2005, 2006 e 2007, utilizando todas as infor­mações disponíveis dessas empresas até o ano de 2010. Considerando o levantamento dessa segunda pesquisa as taxas de mortalidade de empresas com até dois anos, para as nascidas em 2007 no âmbito regional, os números de encerramentos foram respectivamente 21,8% no Sudeste, 24,7% no Sul, 26% no Centro-Oeste, 28,7% no Nordeste e 31,1% no Norte; em nível nacional 24,4% dos empreendedores encerraram suas atividades antes dos dois primeiros anos.

Esses números podem não ser reais, pois existem empresas que estão em situação ativa na junta comercial apenas pelo fato de encontrarem dificuldades no processo de baixa. Metade das empresas encerradas não deram baixa na Junta, as razões são muitas: 40% delas esperam reativar a empresa, 27% não tem dinheiro para cobrir os custos de encerramento, 15% encontram muita burocracia no processo e 18% possuem outras razões que impedem de encerrar.

Os investimentos são grandes e existe muito atrás do sonho de empreender, portanto começar um negócio e encerra-lo após dois anos não está nos planos do jovem empresário. Portanto, analisando o cenário e as condições do negocio, considerando que não é fácil, nem para abrir e nem para encerrar uma empresa. E possível concluir que dificilmente o empreendedor terá sucesso sozinho.

O empreendedor pode até ter a ideia, conhecimento no funcionamento da atividade, mas terá sempre a necessidade de alguém para auxilia-lo no planejamento e gestão do negocio. Precisa de uma consultoria ao seu lado, pois não é simples o caminho a seguir, é complexo, logo justifica fortemente a importância de ter um profissional de contabilidade para dar consultoria desde o projeto a se empreender até o auge de suas atividades, ou seja manter o contador ao seu lado sempre, pois ele no principio irá ajudar no estudo de mercado analisando se será viável ou não o negocio; será indispensável  na abertura da empresa, ele que tomará condução dos processos, pois há uma grande volume documentos e certificações que o empresário deve fazer; em atividade o contador irá assumir as responsabilidade pelas obrigações e contas a prestar para o fisco, pois o Sistema Tributário Nacional (STN) faz diversas exigências as empresas, exigências que pode levar uma empresa ao seu fim; ele também irá assessorar o empresário na melhor direção dos negócios e por último, e algo que uma acessória contábil não deseja para seus clientes é fazer os tramites de encerramento de empresa.

 

Fonte: VANESSA RIBEIRO DA SILVA

2017-11-05T16:44:03+00:00 By |Novidades|0 Comments